Links between Brazil & Ireland

 

 

 

CENTENÁRIO DE BLOOMSDAY NO BRASIL  -  16/06/2004

 

São Paulo-SP, Araraquara-SP, Belo Horizonte-MG, Rio de Janeiro-RJ,

Santa Maria-RS, Curitiba-PR, Natal-RN, & Recife-PE.

 

 

 

Veja programa no site oficial de ReJoyce Dublin: http://www.rejoycedublin2004.com/events/detail.asp?ID=164

 

 

Obras de James Joyce publicados no Brasil

                                

 

James Joyce – e-photos digitais de João Luiz Roth (UFSM):

W.  http://www.ufsm.br/~roth/jamesjoyce.htm

 

 

James Joyce: começando pelo princípio - de Marcelo Tápia *

 

O Bloomsday é uma data festiva, que o mundo inteiro comemora, dedicada ao escritor irlandês James Joyce, o maior escritor do séc. 20, cuja obra literária revolucionou a Literatura moderna, abrindo novos caminhos para a prosa de nosso século e dos próximos que virão.  A data (sempre 16 de junho) refere-se ao dia em que Joyce teve um encontro especial com sua futura mulher, Nora Barnacle, para quem ele teria dito a famosa frase: “Você fez de mim um homem!”.  Esta data, o 16 de junho de 1904, norteou de forma “epifânica” o romance “Ulisses”, protagonizado pelo personagem Leopold Bloom, do qual se extraiu o nome do evento, o Bloomsday.  Além de “Ulisses”, fazem parte de sua criação literária os “Contos Dublinenses”, “Retrato de um artista quando jovem” e “Finnegans Wake”, obra em que Joyce aboliu todo o seu compromisso com a lógica convencional e transformou a palavra em som musical, na tarefa de recontar simbolicamente a história da humanidade, com suas ascensões e quedas. Neste ano de 2004, o evento comemora 100 anos, desde sua origem, e nesta ocasião, o mundo inteiro estará se reunindo para homenagear o espírito inventivo de Joyce.

 

Há dezessete anos, realiza-se, no Finnegans Pub, em São Paulo, o Bloomsday, evento que celebra, internacionalmente, a obra do escritor irlandês James Joyce.  Criado em nosso país pelo poeta Haroldo de Campos (que participou de sua organização até o ano passado, quando faleceu) e organizado atualmente pela professora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas -FFLCH-USP Munira H. Mutran** e pelo poeta Marcelo Tápia, o Bloomsday terá, este ano, um caráter especial, pois comemorará o centenário da data (16 de junho de 1904) em que se passa todo o romance Ulysses, obra mais famosa de Joyce.   As comemorações de 2004 já começaram na Irlanda, onde o Bloomsday nasceu, com programas turísticos especiais para visita a locais relacionados com a obra de Joyce.

 

*   James Joyce: começando pelo princípio:  http://capitu.uol.com.br/p.asp?p=5,3,2004,2277

*   Stephen, O Herói:                                      http://capitu.uol.com.br/p.asp?p=18,4,2004,2341

*   Ulysses: a Odisséia em Dublin:                 http://capitu.uol.com.br/p.asp?p=30,5,2004,2400

 

** ‘Álbum de Retratos’  /  ** ‘Kaleidosopic Views of Ireland’  - Munira H. Mutran e Laura Z. de Izarra

    (orgs.)  / ** ‘Mosaico de Histórias  - Uma antologia do conto europeu'  -  Munira H. Mutran (orgs.)  

 

_______________________________________________________________________________
São Paulo-SP : Universidade de São Paulo - USP

 

 

PROGRAMA COMPLETO e FOTOS:  W. http://capitu.uol.com.br/p.asp?p=31,5,2004,2401

 

 

12 de Junho de 2004, Sábado, 17h00   

 

Casa de Dona Yayá, Rua Major Diogo, 353 - Bela Vista    T. 0xx11 3091-2051

 

1 - Apresentação do grupo Irish Dreams  (música irlandesa) 

2 - Inauguração de uma exposição “International Joyce” (documentos / fotos sobre James

    Joyce - até 4 de julho), com a presença do Embaixador da Irlanda, Martin Greene.

    Organização: Embaixada da Irlanda, a Pró-Reitaria de Cultura e Extensão Universitário /

    USP, a Pró-Reitaria de Pesquisa / USP, e o Centro de Preservação Cultural / USP.

    Catálogo: http://193.178.1.205/information/culture/documents/englishbookletfinal.pdf

 

 

13 de Junho, Domingo, 18h, Anfiteatro Camargo Guarnieri,

Setor Anfiteatro de Convenções e Congressos. Rua do Anfiteatro, 109 – Butantã  USP   

T. (0xx11) 3091-3001 / 3002    W.  http://www.usp.br/prc    E.  prceu@edu.usp.br

 

I  Parte: Solos de Harpa Celta  Instrumentista: Silvia Ricardino. 

Anônimos:  1.  Brian Boru's March / Jig.  2. Roisin Dubh / Mac Allistrum.  3. Air / Baltiórum - Turlough O'Carolan (Irlanda, 1670/1738):  4.Muses: Bridget Cruise & Betty O'Brien.  5. Dames: Mrs. Maxwell & Mrs. Power.  6. Spirits: Ode to Whiskey, Receipt for Drinking & One Bottle More.  7. Mr. Carolan 

 

II Parte: Coralusp -  Regência: Sandra Espirez, Solista: Beth Amin (Músicas citadas em Ulysses)

The Croppy Boy - The Boys of Kilkenny - The Boys of Wexford - Nell Flaherty's Drake - Bold Robert Emmet - The Last Rose of Summer - Thomas Moore - The Rocky Road to Dublin. 

Leitura de A última rosa do verão (The last rose of Summer), em tradução de Fernando Pessoa.  

 

Exposição de painéis sobre a vida e obra de James Joyce

 

 

14 de Junho, Segunda-feira, Cinema da USP,

Rua do Anfiteatro, 181 - Colméia - Favos 4/37 - Butantã. 

T.  (0xx11) 3091-3540 / 3152    CINUSP  W. http://www.usp.br/cinusp    E. cinusp@edu.usp.br

 

14h00 - Exibição do filme Ulysses, de Joseph Strick   

             W. http://www.imdb.com/title/tt0062414/combined

 

16h00 - Palestra e mediação de debate sobre o filme: Prof. Paulo Meneses (DS)

 

 

15 de Junho, Terça-feira

Anfiteatro do Departamento de História, Avenida Prof. Lineu Prestes, 338 - Cidade Universitária.

 

10h00 - Conferência do Prof. J.J. Lee (Cork), da Universidade de Nova Iorque, autor de ’Ireland,       

             1912-1985: Politics and Society’

 

11h00 - Debatedores: Francisco Cabral Alambert (DH) e Rafael Antonio Duarte Villa (DCP)

 

 

Contato em São Paulo: Marcelo Tápia    E.  marcelotapia@superig.com.br

 

_______________________________________________________________________________
São Paulo-SP (ano XVII) : Finnegans Pub

 

 

PROGRAMA   

 

 

16 de Junho de 2004, Quarta-feira: BLOOMSDAY no Finnegans Pub, a partir das 19h30

Rua Cristiano Viana, 358  (esquina com a rua Artur Azevedo)  

 T. (0xx11) 3062-3232    E. finnegan@finnegans.com.br    W. http://www.finnegans.com.br

 

 

Na ocasião, serão distribuídos gratuitamente aos presentes uma camiseta comemorativa e o livreto

James Joyce - um breve itinerário de leitura, de Marcelo Tápia (Editora Olavobrás). 

Coordenação: Munira Mutran e Marcelo Tápia / ABEI - Associação Brasileira de Estudos Irlandeses.

 

 

1 - Abertura: apresentação de música irlandesa tradicional, pelo grupo Irish Dreams (Cíntia Scola, 

     Daniel Tápia, Marcelo Tápia e Silvia Zambon)    W. http://www.brpress.net/noticias.asp?id=7140

 

2 - “Cem anos do Bloomsday / 17º Bloomsday em São Paulo” - por Munira Mutran.

 

3 - Homenagem a Haroldo de Campos. 

     (Homenagem em 2003) -  http://www.literaturaonline.com.br/Haroldo/tributo/haroldo_tributo.html

 

   • Leitura de trecho do episódio “Nausicaa”, de Ulysses,

     em transcrição de Haroldo de Campos.  Por Bete Coelho.

   Babel joyciana: leitura simultânea, em diversas línguas, de parte do mesmo fragmento de

     Ulysses, por: Liam Gallagher (em inglês), Beatriz Kopschitz (português), José Joaquim

     Degasperi (espanhol), Lucia Wataghin (italiano), Lígia Fonseca (francês), Suzanne Gattaz

     (alemão), Aurora Bernardini (russo), Ilde Suto (húngaro), Yun Jung Im (coreano), Michel

     Sleiman (árabe), Pérola Wajnsztejn (hebraico).

   Bloom & Molly: leitura dramática de fragmentos relativos às personagens Leopold Bloom e

     Molly Bloom, pela Cia. Nova de Teatro Moderno, com direção de Lenerson Polonini.

   • Audição de dois fragmentos de Finnegans wake em leitura de Haroldo de Campos.

   • Leitura de três fragmentos de Finnegans wake em transcrição de Haroldo de Campos,

     por: Alice Ruiz, Cláudio Daniel e João Bandeira.

 

4 - Concurso de casais caracterizados como Joyce & Nora ou Bloom & Molly.

 

5 - Projeção de fotos “Dublin no tempo de Bloom”, com comentários de Liam Gallagher da

     Associação Cultural Brasil-Irlanda.

     W. http://milpovos.prefeitura.sp.gov.br/home.php?com=5&lang=1

 

6 - “A música em Joyce”:

     algumas das canções presentes na obra joyciana, apresentadas pelo grupo Irish Dreams.

 

 

Contato em São Paulo:  Marcelo Tápia    E. marcelotapia@superig.com.br    

                                          

 


Araraquara-SP : SESC

 

 

PROGRAMA: http://www.araraquara.com.br/index.php?id=2195

 

 

16 de junho de 2004, 19h30, Biblioteca, SESC, Araraquara - SP.  Grátis

 

O SESC Araraquara promove uma performance com Rachel Brumana e Rodrigo Gaion de Oliveira sobre o primeiro capítulo do livro, o Calipso. O Prof.Dr. Alcides Cardoso dos Santos, especialista em literatura britânica da Unesp, comenta a escrita de Ulisses e conta porque Joyce é um representante tão importante na literatura brasileira.  Venha desfrutar dessa provocação dos sentidos, captar a veia artística celta e fazer um interessantíssimo bate-papo no melhor estilo pub irlandês, porque vale a pena se entregar a um clássico imortal.

 

Contato em Araraquara: Áurea Leszczynski Vieira Gonçalves   

T. (0xx16) 3301-7514    E. aurea@araraquara.sescsp.org.br

 

 

 

 

Belo Horizonte-MG : REDE MINAS

 

 

PROGRAMA (TV):

http://www.redeminas.com.br/siteoficial/redeminas/Capa.asp?OP=MC&CS=*&CE=22&IM=1148

 

 

A obra do escritor James Joyce

 

Livro Aberto

Apresentação: Daniel Antônio

Segunda-feira, 14 de junho de 2004, 22h

 

Livro Aberto analisará a produção literária do escritor irlandês James Joyce, autor de obras inovadoras como Finnegans Wake, Ulisses e clássicos como Dublinenses e Retrato de um Artista Quando Jovem. As professores de literatura da UFMG Magda Veloso e Maria Esther Maciel, o psicanalista Sérgio Laia, da Escola Brasileira de Psicanálise, e Ione de Medeiros, do Grupo Oficcina Multimédia, debaterão aspectos do estilo do escritor, como a utilização de técnicas de linguagem como a palavra valise, o monólogo interior, a palavra puxa palavra, a presença de Dublin (capital da Irlanda) em seus livros e a dificuldade de ler sua obra.

 

O programa exibirá ainda uma série de vídeo-textos com fragmentos de Ulisses e Finnegans Wake, realizados em parceria com o Grupo Oficcina Multimédia, responsável por encenações teatrais baseadas em livros de James Joyce. Apresentará curiosidades, informações sobre a vida e a obra do escritor e dicas de leitura de livros de sua autoria.

 

A edição sobre James Joyce tem como motivação a comemoração, no dia 16 de junho, dos 100 anos em que o personagem Leopold Bloon, do romance Ulysses, saiu às ruas de Dublin para uma série de prosaicas aventuras. A data, comemorada mundialmente pelos admiradores de Joyce, é conhecida como Bloomsday.

 

Fundação TV Minas Cultural e Educativa.

 


Belo Horizonte-MG (ano XV), Centro de Cultura B. Horizonte (13-19 de junho de ´04)

 

 

PROGRAMA COMPLETO E CARTAZ:  W. http://www.oficcinamultimedia.com.br/bloom.htm    

 

Constam da programação (grátis) do Grupo Oficcina Multimédia (GOM) da Fundação de Educação Artística palestras, debates, concursos de vídeo, peças gráficas e objetos-símiles, exibição de vídeos, exposições, performances e palavra aberta ao público com atividades diversificadas, que incluem a participação de especialistas na obra de Joyce assim como leigos interessados no assunto e comprometidos com o gesto criativo.

 

13 a 16 de junho no Centro de Cultura Belo Horizonte (CCBH)

Rua da Bahia, 1149 - Centro.  T. 3277- 4607 ou 3221- 6200

 

 

13 de Junho, Domingo

 

10h00 - “Bomde Joyce” - Noivas performáticas na Praça da Liberdade.

14h00 - Abertura das exposições (CCBH):

             A Irlanda de Joyce (fotos),

             Joyce 2004 (design gráfico) e

             Hum... Isso é a cara de Joyce (objetos-símile) no CCBH.

 

14 de junho, Segunda-feira

 

16h00 - Exposições (CCBH).

19h00 - Introdução a Joyce - Palestra com Ram Mandil (UFMG)

              Exibição do filme “Ulisses” de Joseph Strick (1967 - 132 min.).

 

15 de junho, Terça-feira

 

16h00 - Exposições (CCBH).

18h00 - Exibição dos vídeos inscritos no concurso Joyce até 5 minutos, seguida da exibição do

             filme Os vivos e os mortos, de John Huston (1987, 82 min.)

             precedida de um ensaio sobre a obra de autoria de Mario Alves Coutinho (TV MINAS).

 

16 de junho, Quarta-feira – BLOOMSDAY  

 

16h00 - Estátuas vivas de Joyce - (CIA Móvel - UNI/BH) / Exposições (CCBH)

18h00 - Mostra dos vídeos concorrentes.

19h00 - Mesa redonda com Magda Veloso (UFSJ), Thomas Burns (UFMG) e Sérgio Laia

            (Psicanalista, membro da Associação Mundial de Psicanálise) versando sobre temas como

              A Linguagem de Joyce”, “Violência e política na literatura irlandesa” e

              Visão psicanalítica de Joyce”.

 

Em seguida:  Divulgação dos vencedores dos concursos.  Intervenção de Molly Bloom com Mônica Ribeiro.  Leituras abertas de Joyce.  Sonorização: Daniel Corte Seco.

 

19 de junho, Sábado

Espaço Unibanco Belas Artes de Cinema, Rua Gonçalves Dias, 1581 - Lourdes.

11h00 - Exibição dos vídeos concorrentes.   (Obs: Fazem parte da banca que vai eleger o melhor vídeo: Èder Santos, Marcus Vinicius, Maior Alves Coutinho, e Geraldo Velloso)

 

 

Contato em Belo Horizonte: Ione de Medeiros 

T.  (0xx31) 3221-6200    E. contato@oficcinamultimedia.com.br

_______________________________________________________________________________

 

 

Rio de Janeiro-RJ (ano VI) : Confeitaria Colombo

 

PROGRAMA

 

16 de junho de 2004, Quarta-feira - BLOOMSDAY, 12h00

Confeitaria Colombo (desde 1894), Rua Gonçalves Dias 32 - 1a. andar – Centro. 

T. (0xx21) 2232-2300 Ramal 210 - Sra. Cordola.    W. http://www.confeitariacolombo.com.br

 

- Almoço Bloomsday preparado pelo Chef Executivo da casa, Sr. Renato Freire, inspirado no

  menu histórico (Déjeuner “Ulysses”) que foi apresentado num restaurante de Paris em 27 de

  junho de 1929, o ano em que Ulisses foi traduzido para o francês e o vigésimo quinto aniversária

  do Bloomsday.  Uma cópia do menu original foi trazido do Museu de James Joyce em Dublin:

  LE PATÉ LÉOPOLD, LES QUENELLES DE VEAU TOULOUSE, LE POULET DE BRESSE RÔTI,

  LES POMMES NOUVELLES AU BEURRE, LA SALADE DE LAITUE MIMOSA, LES FROMAGES

  VARIÉS.  LA TARTE AUX FRAISES DE JARDIN.  VIN BLANC, VIN ROSÉ, VIN ROUGE. 

  PASSE-TOUT-GRAIN DE NUITS.  MOULIN A VENT.  CAFÉ FILTRE.  LIQUEURS

- Homenagem e um brinde à memória de James Joyce e o Acadêmico Antônio Houaiss,

  tradutor de "Ulisses" em português, pelos Acadêmicos Antonio Olinto e Ana Maria Machada –

  representando a Academia Brasileira de Letras, com a presença do Cônsul-Honorário da Irlanda

  no Rio de Janeiro, Brian McComish, e membros da colônia irlandês local.

- Música em homenagem a Joyce: Harold Emert (Oboé) http://www.haroldemert.hpg.ig.com.br,

  Phylis Huber e Paola Bailaora.                                   

- Exposição de livros escritos por Joyce da coleção privado de Peter O’Neill.

 

Confeitaria Colombo: Retrato vivo da Belle Époque carioca e marco da valorização da gastronomia na cidade, a Confeitaria Colombo guarda, ainda hoje, muito do seu estilo Art Nouveau do início do século. Seus famosos espelhos belgas, suas molduras e vitrines em jacarandá, as bancadas de mármore italiano, os lustres, o piso e o belo mobiliário permanecem intactos, do mesmo jeito como foram admirados por renomadas personalidades que ajudaram não só a escrever a história do Brasil, como a fazer da Colombo uma das grandes atrações do Rio de Janeiro.

 

 

Contato no Rio de Janeiro: Peter O´Neill    T. (0xx21) 9736-1117    E.  peter.oneill@terra.com.br

 

 

 

 

Rio de Janeiro : Escola Letra Freudiana (ano IV)

 

PROGRAMA

 

16 de junho de2004, Quarta-feira às 21h00. Escola Letra Freudiana, Rua Barão de Jaguaripe, 231 – Ipanema.  T. (0xx21) 2522-3877   E. escola@letrafreudiana.com.br   W. www.letrafreudiana.com.br

 

BLOOMSDAY é o dia eleito por James Joyce para fazer acontecer os encontros de seus personagens no romance que mudará os caminhos da literatura do século XX.  Em Dublin, Bloom, Molly e Stephen fazem a experiência de encontrar-se com a solidão de cada um e dela resultam três modos distintos de escrita. Trechos dos monólogos dos três personagens na seleção e tradução de Bernardina Pinheiro serão lidos pelos atores Cristina Mayrink e Roberto Lobo.  Maria Helena Carneiro da Cunha e Renata Salgado conduzirão o encontro. Eduardo Vidal fará algumas pontuações sobre a escrita inaugurada por James Joyce.

 

A Escola Letra Freudiana aproveita a ocasião para agradecer a Bernardina Pinheiro e a Jacques Aubert a incalculável contribuição ao trabalho de leitura da obra de Joyce, do qual resultaram duas publicações que produzem uma interseção da psicanálise e da literatura: Retratura de Joyce e A Jornada de ULISSES.  A Profa. Pinheiro acabou de terminar um novo tradução de “Ulisses”.

 

Contato no Rio de Janeiro: Rossely Peres T. (0xx21) 2522-3877 E. escola@letrafreudiana.com.br

 

 

 

 

Rio de Janeiro : Livraria Dantes (ano I)

 

 

PROGRAMA

 

                                       Cariocas comemoram 100 anos do Bloomsday


16 de junho de 2004, Quarta-feira, a partir das 20h30, Dantes Editora e Livraria - Rua Dias Ferreira, 45/B – Leblon.    T. 0xx21 2243-1050    W. 
dantes@plugue.com.br

 

 A revista literária Paralelos, a Livraria Dantes e as editoras Lamparina, Casa da Palavra e 7Letras convidam para a leitura-festa em homenagem aos 100 anos do Bloomsday, no dia 16 de junho - mítica data em que transcorre o romance Ulisses, do escritor James Joyce.


Geraldo Carneiro, Bianca Ramoneda, Julio Bressane, Fausto Fawcett, Fernando Eiras, Francisco Slade e Michel Melamed lerão trechos da obra precursora das vanguardas literárias e concebida para ser, segundo o próprio Joyce, o "romance para acabar com todos os romances".


Como parte das comemorações, haverá lançamento do livro Refabular Esopo, de Donaldo Schüler (Lamparina editora), tradutor premiado de Finnegans Wake, de James Joyce.  Na obra, o escritor reconta famosas fábulas inspirado na desconstrução da linguagem inaugurada pelo autor irlandês. A Casa da Palavra vai distribuir um livreto-aperitivo de sua edição Shakespeare and Company, a autobiografia de Sylvia Beach, livreira e primeira editora de Ulisses, que será lançada ainda esse mês.

Sylvia Beach abriu em Paris na década de 1920 a lendária Shakespeare and Company, ponto de encontro da chamada "Geração Perdida" (Ezra Pound, Hemingway, Gertudre Stein, André Gide e outros). Como Ulisses fora considerado imoral e proibido para edição na Inglaterra e nos Estados Unidos, coube a essa improvisada editora lançar a obra-prima de Joyce. No livreto-aperitivo distribuído pela Casa da Palavra ela conta alguma das peripécias de edição, incluindo as idiossincrasias do autor.


Autores da coleção Rocinante (7Letras), alguns com obras inspiradas na ruptura proposta por Joyce, estarão entre os convidados da festa e terão seus romances à venda do local.


Os cantores Otto e Jards Macalé também devem provar do Irish Coffee e do churrasco de carneiro que serão servidos aos convidados.

O Bloomsday carioca faz parte das comemorações dos 10 anos da Livraria Dantes e conta com o apoio do Ateliê Culinário e da cachaça Nega Fulô.

Bloomsday carioca


convidados: Joyce, Otto, Jards Macalé, Geraldo Carneiro, Bianca Ramoneda, Julio
Bressane, Fausto Fawcett, Fernando Eiras, Francisco Slade e Michel Melamed

 

 

Contato e mais informações:


Jaime Gonçalves (Paralelos)                  T. (0xx21) 9398-9847
Anna Paula (Livraria Dantes)                  T. (0xx21) 2511-3480    E.
dantes@plugue.com.br

Michelle Strzoda (Lamparina)                 T. (0xx21) 2232-1768    E. lamparina@lamparina.com.br

Marcelo Pacheco (Casa da Palavra)       T. (0xx21) 8114-2023

 

 

 

 

Santa Maria-RS (ano XI) :  Ponto de Cinema Bar

 

 

PROGRAMA COMPLETO E CARTAZ:  http://amseverino.sites.uol.com.br/bloomsday/program.htm

 

 

16 de junho de 2004, Quarta-feira, 18h00, BLOOMSDAY, Ponto de Cinema,

Rua Ângelo Uglioni, 1567 – Centro, T. 0xx55 221-8800 

Música incidental / Trilha sonora: Irish Dreams / Sonhos Irlandeses, Editora Olavobrás

 

 

18h30

 

Telemaquia (abertura, história, apresentação, homenagem, invocação)

Abertura: Bloomsday, Leitura das efemérides.  Curta História:

Ponto de Cinema Bar (13 anos) e Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria (26 anos)

Bloomsday (1904 - 2004) 100 anos de paixão: Nora Barnacle & James Joyce

Leitura de Galáxias (trecho inicial) - homenagem a Haroldo de Campos, 1929 - 2003

Leitura do Canto 1, (Ezra Pound, tradução de Augusto, Haroldo de Campos e Décio Pignatari)

 

 

19h30 

 

Odisséia (leituras de poesias: Borges, Yeats, Keats e Celan. Leitura de prosa de James Joyce)

Invocação a Joyce (Jorge Luís Borges, tradução de Marcelo Tápia)

James Joyce (Jorge Luís Borges, tradução de Marcelo Tápia)

O fascínio daquilo que é difícil (Willian Butler Yeats, tradução de Paulo Vizioli)

Ao gato (John Keats, tradução de Alberto Marsicano e John Milton)

Fala tu também (Paul Celan, tradução de Claudia Cavalcanti)

O Gato e o Diabo (história infantil escrita por Joyce para seu neto Stephen, tradução de Antônio Houaiss)

Finnegans Wake [292.12-21] (James Joyce, traduções de Haroldo de Campos e Donaldo Schüler)

Carta (levemente pornográfica) de Joyce para Nora de 06.12.1909 (tradução de Carlos Valente)

Espaço franqueado para quaisquer participantes lerem prosa e/ou poesia

 

 

21h30

 

Nostos (leituras do Ulysses, sorteios e encerramento)

Leituras de trechos do Ulysses, 11ª edição, tradução de Antônio Houaiss, Ed. Civilização Brasileira

Trecho inicial do capítulo 1, "Telêmaco" - (página 9)

Trecho inicial do capítulo 4, "Calipso" - (página 73)

Trecho inicial do capítulo 6, "Éolo" - (página 153)

Trecho final do capítulo 12, "O Ciclope" - (página 447)

Trecho inicial do capítulo 16, "Eumeu" - (página 729)

Trecho do capítulo 17, "Ítaca" - (entre as páginas 887 e 890)

Trecho inicial do capítulo 18, "Penelope" - (página 895)

Sorteio de obras alusivas ao Bloomsday (cortesia Marcelo Tápia / Editora Olavobrás)

Encerramento: O Ponto de Cinema pede passagem...

Apoio: Ponto de Cinema (13 anos), CESMA (26 anos) e Editora Olavobrás

 

 

Contato em Santa Maria: Aguinaldo Medici Severino: 

T. (0xx55) 221-4001  E. severino@ccne.ufsm.br   W.  http://amseverino.sites.uol.com.br/bloomsday

coralx.ufsm: http://coralx.ufsm.br/ex-alunos/index.php?acao=noticias&id=4680

 

 

 

 

Curitiba-PR (ano V) : FNAC

 

 

PROGRAMA   http://beta.geracaopedreira.com.br/cgi-bin/showmat-e.pl?g=gr5&mat=83

 

http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/fcc_Detalha_Noticia.asp?Origem=fcc_Lista_Noticia.asp&id=615&tela=DETALHANDO;Home;$$$

 

16 de Junho de 2004.  Quarta-Feira, 19h00,  A FNAC e o Centro Paranaense Feminino de Cultura com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba celebram o revolucionário romance Ulisses, de James Joyce, um marco na revolução literária.  Entrada franca.

Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, nº 600 - Loja 101 - Mossungue

T. (0xx41) 2141-2000   E. sac.curitiba@fnac.com.br  W.  http://www.fnac.com.br/institucional/LjCuritiba.aspx

 

James Joyce nasceu em Dublin, em 1882, e faleceu em Zurique (Suíça), em 1941, pouco antes de completar 59 anos.  Poeta e novelista, o escritor irlandês escreveu poucos livros - dois deles são marcos da literatura.  Ulysses”, publicado em 1922, significou a renovação da ficção no século 20. Trata-se da narrativa do dia 16 de junho de 1904, quando os passos do corretor de anúncios dublinense Leopoldo Bloom cruzam com os de sua mulher Molly e do jovem Stephen Dedalus.  A obra combina características de lenda, história, reportagem, farsa, drama, sinfonia e tratado escolástico.  O romance é uma versão moderna e uma paródia da Odisséia.
O segundo livro de Joyce é “Finnegans Wake”, de 1939.  Nesta obra o escritor levou às últimas conseqüências suas inovações estéticas e lingüísticas.  A trama é uma espécie de sonho universal, focalizando uma família irlandesa que representa o arquétipo de todas as famílias.  Como em “Ulysses”, em “Finnegans Wake” Joyce fundiu palavras de diversos idiomas e a vida aparece como um ciclo.  O livro inicia com uma frase que aparece inacabada na última página.

 

Apresentação:

 

Sergio Justen e Musical: Canções irlandesas com o grupo Lunan.

 

Palestras:

 

- “Ulisses em exposição” - por Ivan Santana, Mestre em Literatura pela USP

 

- “Joyce pós-Ulisses” - por Caetano Waldrigues Galindo  (Professor de lingüística histórica da  UFPR), com leitura e comentários de tradução inédita de James Joyce.

 

Leituras:

 

Récitas poéticas - Ivan Justen, o jornalista e escritor Rubens Nogueira e os atores Anderson Faganello, Fábio Silvestre e Iria Braga fazem uma intervenção poética montada principalmente para o evento. 

Lançamento de livro:

 

"No bosque da noite" (Nigtwood) de Djuna Barnes.   Tradutor: Caetano W. Galindo.

 

 

Contatos em Curitiba: Ivan Santana: (0xx41)  321-3309 / 321-3308, Caetano Galindo 363-0516 Fundação Cultural de Curitiba    W. http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

 

2003:  http://www.curitiba.org.br/digitando/cultura/?canal=24&noti=1471

 

 

 

 

Natal-RN : Universidade Federal do Rio Grande do Norte

 

PROGRAMA  

http://www.natalpress.com.br/index.php?Fa=aut.inf_mat&AUT_ID=32&MAT_ID=4691

 

16 de Junho de 2004, Quarta-feira, BLOOMSDAY, 09h00, Biblioteca Central Zila Mamede, UFRN.

Campus Universitário, Lagoa Nova, s/n    T. (0xx84) 215-3841    F. (0xx84) 215-3856

O Professor Chico Ivan do Departamento de Letras, UFRN, em parceria com o Centro Acadêmico de Letras “Jorge Fernandes”, estarão realizando um seminário chamado “James Joyce: 100 anos depois”

 

Contato em Natal:  Alexandro Gurgel    E. alexgurgel@matrix.com.br

 

 

 

 

Recife-PE (ano II) : União Brasileira dos Escritores

 

PROGRAMA http://www.interjornal.com.br/noticia.kmf?noticia=2021295&canal=1&tema=25&total=2581&indice=0

 

16 de junho de 2004.  Quarta-Feira, 19h00, UBE, Rua Santana 202, Casa Forte.   T. 3441-7488    Grátis

 

Letras e psicanálise - http://www.pernambuco.com/diario/2004/06/16/viver1_1.html

 

Pelo segundo ano, a UBE (União Brasileira dos Escritores) promove o Bloomsday de Pernambuco. Desta vez, em parceria com dois institutos de psicanálise - Intersecção Psicanalítica do Brasil e Centro de Estudos Freudianos.

Haverá diversas atividades, como palestras, exposição e performance.  A pequena mostra, na Sala da Secretaria, exibirá fotos relacionadas à vida do escritor irlandês.  A atriz Sônia Bierbard fará uma performance baseada no monólogo de Molly Bloom, personagem de Ulisses, trecho famoso por celebrar essa mulher voluptuosa, sensual e independente.

São seis palestrantes.  Na seara literária, Vital Corrêa de Araújo, presidente da UBE, falará sobre a chamada Bloomíada -os capítulos 4, 5 e 6 do romance.  Já o escritor Raimundo Carrero abordará a evolução do tom pessoal na narrativa, enfocando do francês Gustave Flaubert a James Joyce. "Quero mostrar também que quem deu início à técnica do fluxo de consciência foi o francês Edouard du Jardin", diz Carrero.  Ele exemplifica a influência de Joyce em suaprópria obra no seu último romance, Ao Redor do Escorpião... uma Tarântula?  "Mas sou mais radical. A trama toda se passa em 30 segundos e são dois fluxos de consciência que se chocam e não falam entre si", diz.

Já na também frutífera área psicanalítica, Andréa Echeverria, da Intersecção Psicanalítica do Brasil, dará a palestra O Jogo das Palavras.  O tema da conferência de Maria de Fátima Belo de Morais e Josilene Xavier, do Centro de Estudos Freudianos, será Pontuações sobre Retrato do Artista Quando Jovem.  E Paulo Medeiros falará sobre a realidade de Joyce no real de Lacan.

A organização do evento está a cargo de Vital Corrêa de Araújo, presidente da UBE, e das psicanalistas Ana Lúcia Falcão e Luiza Bradley.  No ano que vem, a Intersecção Psicanalítica do Brasil, instituição da qual Ana Lúcia participa, promoverá um encontro no Castelo de Dublin, na Irlanda, em parceria com entidades da França, Argentina e Irlanda.  "Vamos reunir pessoas de psicanálise, literatura, lingüística, os maiores especialistas emJoyce do Mundo", conta a psicanalista pernambucana. Mais informações podem ser obtidas no site
http://joycelacamdublin2005.cjb.net.

Jornal do Commercio, PE  15/06/2004 – 07h16

As eternas 18 horas de Mr. Bloom

Fãs do escritor irlandês James Joyce e do seu clássico Ulisses comemoram, amanhã, em todo o mundo o centenário do Bloomsday    Schneider Carpeggiani

O 16 de junho de 1904 funcionou como um ‘dia 12’, a tal data dos namorados, para o irlandês James Joyce. No dia 10, ele encontrou pela primeira vez a camareira de cabelos castanhos Nora, sua futura mulher. Feito os primeiros contatos, o reencontro, desta vez com tons mais íntimos, ocorreu seis dias depois durante um passeio pelas ruas de Dublin. Para marcar a caminhada, Nora não se fez de rogada e masturbou o seu novo namorado.

“Ela me fez homem”, lembrou Joyce, que mais tarde usaria aquela data como referência para as 18 horas que marcam a ação (!) de Ulisses, romance (!) que colocaria de cabeça para baixo as formas narrativas da literatura universal. Aquelas areias pesadas das suas 800 e poucas páginas eram linguagem, sim, senhor, tanto que, compreendidas ou não, deram origem a uma festividade bem peculiar, o Bloomsday, em referência a tudo o que foi vivido pelo anti-herói de Ulisses, Leopold Bloom, no dia 16 de junho de 1904.

Os 100 anos desse ‘festejo junino’ literário será comemorado em todo o mundo, inclusive no Recife. A União Brasileira dos Escritores – Secção Pernambuco (UBE-PE) realiza o seu segundo Bloomsday amanhã, a partir das 19h, na sua sede. “Desde a primeira vez que resolvi fazer o Bloomsday, vi que era necessário realizar o evento com as associações psicanalíticas, porque é baixo o número de membros da UBE que leram James Joyce”, afirmou o presidente da instituição, o poeta Vital Corrêa. O Bloomsday recifense contará com palestras de membros dos Centro de Estudos Freudianos, Intersecção Psicanalítica do Brasil, do Trópico Freudiano, do próprio Vital e do escritor Raimundo Carrero.

De acordo com a psicanalista Ana Lúcia Bastos, da Intersecção Psicanalítica, é grande no Recife o número de lacanianos admiradores de Ulisses. “Joyce usa a língua de modo distinto do comum, jogando com palavras e letra. E para Lacan, que lhe dedicou seminários, o inconsciente é construído a partir da linguagem”.

Para Lacan, Joyce tinha uma psicose que não apresentava sintomas na vida, que ele conseguia administrar no texto. “Para alguns lacanianos, no entanto, Joyce não era psicótico, porque não apresentou um quadro assim no seu cotidiano”, pontua Ana Lúcia.

Apesar de Ulisses ser um livro difícil, que o próprio Joyce afirmou que os leitores levariam mais de 100 anos para entendê-lo, o furor em torna das comemorações do dia de Bloom acaba transformando-o em uma espécie de ícone pop. Na Irlanda, por exemplo, o Bloomsday foi esticado de um dia para um festival que vai durar quatro meses e contará até com a realização de um rally de motos (!). É o Rejoyce Dublin 2004 Bloomsday Centenary Festival.

Sem dúvida, Joyce nunca poderia ter imaginado que as suas 18 horas iriam gerar tantas cervejas Guinness erguidas para o céu.

Bloomsday Recife: Amanhã, às 19h, na Sede da UBE (Rua Santana, 202, Casa Forte).
Entrada franca.

 

 

 

 

CD: Tem Joyce no samba


Banda Maluca (Biscoito Fino, 2004), CD da cantora carioca Joyce: "Foi feita em Dublin, para o meu xará, que nunca veio ao Rio, mas deveria ter vindo... James, você não sabe o que perdeu", brinca Joyce no encarte do CD.  Veja Digestivo Cultural, 10.06.04: http://www.digestivocultural.com/colunistas/coluna.asp?codigo=1375

 

Se você pensou no escritor irlandês James Joyce, acertou.  Se pensou na cantora carioca Joyce, também.

 
Esteja onde estiver, no Olimpo, na Valhalla ou, simplesmente, no Céu, o finado polímata Haroldo de Campos deve estar morrendo de inveja da cantora.  Haroldo entendia um bocado de Joyce (o escritor), mas compor um samba seria a última coisa que dele se podia esperar.  Pois Joyce compôs.  Quem nasce em Copacabana leva certas vantagens até na Irlanda.

Gilberto Mendes também venera o autor de Ulisses (aliás publicado no ano em que Gilberto nasceu);porém, até por ser paulista, como Haroldo, o samba não é bem o seu forte—razão pela qual homenageou o escritor com o instrumental que domina, a música erudita. Erudita, vanguardista (estudou com Pierre Boulez e Stockhausen) e espirituosa—razão pela qual sua homenagem não é sisuda como asque Samuel Barber, John Cage, Luciano Berio, Otto Luening e o próprio Boulez prestaram à obra joyceana.Como se fosse um bamba do samba carioca, Mendes imaginou Ulisses a surfar nas ondas da praia de Copacabana, ao lado de James Joyce e... Dorothy Lamour!

Já teve Balzac no carnaval.  Não no samba, na marchinha: “Papai Balzac já dizia/Paris inteira repetia/Balzac tirou na pinta/Mulher, só depois dos 30” (Balzaquiana, de Nássara e Wilson Batista, 1950).  Por James Joyce, contudo, ninguém esperava.   Se bem que eu conheça um lunático que alimenta o bizarro desejo de propor James Joyce para enredo de escola de samba, partindo do princípio de que o famoso final do solilóquio de Molly Bloom (“e sim eu disse sim eu quero Sims”) daria um ótimo estribilho para samba enredo.

James Joyce não é um corpo estranho no jazz (mas foi preciso um francês, André Hodeir, para compor um tema inspirado em Anna Livia Plurabelle), e muito menos, acredite, na música pop—a dos letrados, evidentemente.
Ouça de novo os Beatles (I am the Walrus), os Jefferson Airplane (rejoyce) e Lou Reed (Magic and Loss).  Joyce, a cantora, talvez já soubesse de quase tudo isso quando foi a Dublin pela primeira vez, em 2001, para uma série de shows com sua Banda Maluca no Vicar’s Street, um dos templos do jazz da terra natal de James Joyce.  Certamente também sabia que o escritor cantava bem à beça e que se tivesse dado trela aos conselhos de seus pais, teria deixado de lado a literatura e seguido a carreira de cantor.  Ainda assim, ao ver na fachada de um pub um cartaz com os dizeres “Songs of Joyce” (Canções de Joyce), assombrou-se e comentou com seus botões: “Mas não foi com esse lugar que eu assinei contrato”.  E tão logo percebeu a que canções e a qual Joyce se referia o cartaz, as musas vieram em seu socorro e lhe sopraram a idéia do Samba do Joyce.

Vontade de brincar com o seu homônimo era desejo antigo, muito anterior ao Re:Joyce que Romero Lubambo compôs para ela, pensando no velho James.  Floresceu na juventude, fruto de duas coincidências.  Além do nome (sugerido à sua mãe por um tio inglês), a cantora também contrariou a vontade da família.  Na contramão de James Joyce: seus pais queriam que ela, em vez de cantar, escrevesse livros.

Joyce preferiu escrever letras.  A do Samba do Joyce foi rabiscada nos bastidores do Vicar’s Street.  É um devaneio só. Em cima de uma suspeita: Joyce teria sido infinitamente mais feliz se em vez de se mandar para Trieste, Zurique ou Paris tivesse vindo para o Brasil, num périplo modernista que começaria em Lisboa (onde tomaria cerveja com Fernando Pessoa) e culminaria com ele se esbaldando com a turma da Semana de Arte Moderna e, sobretudo, com Noel Rosa, Lamartine Babo e os Leopold Blooms da Lapa.

E assim o samba ficou: “Samba, samba/Quando James Joyce ouviu um samba, samba/descobriu que a Lapa era na Irlanda, landa/Molly Bloom virou Carmen Miranda, randa/Ele então juntou corda ecaçamba, samba/resolveu sair atrás da banda, banda/foi no Adamastor pra Madureira, será?//Samba, samba/O século vinte é só muamba/samba, samba/Nego diz que Joyce é que era bamba//Samba, samba/Quando James Joyce cai no samba, samba/chama o português lá da quitanda, anda/pede uma passagem pra Lisboa, voa/toma uma cerveja com o Pessoa, soa/sai com uma mulata da Gamboa, boa/quem pinta o retrato dessa nega, Degas?//Samba, samba/James Joyce aterrissou na quarta-feira/depois de uma epifania na Mangueira/e uma saideira lá no bar Lagoa/olha o James Joyce no meu samba, à-toa...”

Sérgio Augusto, Biscoito na Mídia, Vejinha Rio, 08.02.04 -
http://www.biscoitofino.com.br/bf/not_bfnamedia_cada.php?id=121

 

 

 

 

Brazilian Educational and Language Travel (BELTA) : Sorteio

 

Três cursos de inglês grátis de 12 semanas cada na escola ´English in Dublin´ Irlanda.

Os participantes devem responder a seis perguntas sobre Bloomsday. 

Maiores Informações na seguinte endereço: http://www.belta.org.br

 

 

 

 

Bloomsday 2004 - Media & Links

 

- Veja artigos sobre Bloomsday 100 e Dublin nas seguintes revistas e jornais:

  Próxima Viagem  Maio  http://www2.uol.com.br/proximaviagem/viagens/dublin_055/index.shtml

  BRAVO!                           Junho    http://bravonline.uol.com.br/impressa.php?edit=li&numEd=81

  CULT                               Junho     (Nr. 81 p. 18-21)    http://www2.uol.com.br/cult 

  Folha de São Paulo      12/06/04  p. E 1 Folha Ilustrada    14/06/04  p. F 11 Folha Turismo

  folha online  14.06.04    http://www1.folha.uol.com.br/folha/turismo/noticias/ult338u4309.shtml

                        14.06.04    http://www1.folha.uol.com.br/folha/turismo/noticias/ult338u4310.shtml

  O Estado de S.Paulo    08.06.04  http://www.estadao.com.br/suplementos/viag/viag023.htm

   12.06.04  http://www.cbl.org.br/news.php?recid=1146&hl=Bloomsday

                                         13/06/04  p.1 & 5 - Cultura  http://www.cbl.org.br/news.php?recid=1154

                                         18.06.04  http://www.cbl.org.br/news.php?action=newsview&recid=1161                                          

  estadao.com.br   16.06.04  http://www1.folha.uol.com.br/folha/turismo/noticias/ult338u4310.shtml

  O Globo-RJ                   16/06/04  p. 2 Segundo Caderno

  BELTA                             Junho    http://www.belta.org.br

  cruzeironet.com.br       15.06.04  http://www.cruzeironet.com.br/run/33/129760.shl

  literatura online              Junho    http://www.literaturaonline.com.br

  site de literatura             Junho    http://www.sitedeliteratura.com/Noticias/2004/bloomsday.htm

  br press.net                   15.06.04  http://www.brpress.net/noticias.asp?id=7246

  FCC-PR                          09.06.04  Fundação Cultural de Curitiba-PR

http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/fcc_Detalha_Noticia.asp?Origem=fcc_Lista_Noticia.asp&id=615&tela=DETALHANDO;Home;$$$

  Natal Press-RN             14.06.04  Universidade Federal do Rio Grande do Norte  http://www.natalpress.com.br/index.php?Fa=aut.inf_mat&AUT_ID=32&MAT_ID=4691

  Jornal do Commercio  15.06.04  União Brasileira dos Escritores, Recife-PE

http://www.interjornal.com.br/noticia.kmf?noticia=2021295&canal=1&tema=25&total=2581&indice=0

  ig.com.br  Ler                Junho     http://www.ig.com.br/home/igler/artigos/0,,1630072,00.html

  tipos.com.br         16.06.04      http://www.tipos.com.br/item/21970

  sobre.sites.com   16.06.04      http://www.sobresites.com/poesia/forum/topic.asp?TOPIC_ID=842

  Agência EFE        15.06.04      http://www1.uol.com.br/diversao/efe/2004/06/15/ult1817u1314.shl

                                17.06.04      http://diversao.terra.com.br/interna/0,,OI327016-EI3615,00.html   

  BBC Brasil            http://www.bbc.co.uk/portuguese/cultura/story/2004/06/040613_joycemtc.shtml

  Reuters                 11.06.04      http://diversao.terra.com.br/interna/0,,OI323649-EI3615,00.html

                                15.06.04    http://www1.uol.com.br/diversao/reuters/2004/06/15/ult26u16804.shl  

 

  Simpósio Joyce-Lacan 2005   http://users.hotlink.com.br/rs/Joyce4/port.htm

 

 

- Traduções de obras de James Joyce em Português:     http://www.submarino.com.br/books_more.asp?Query=ProductPage&ProdTypeId=1&ArtistId=31819&Type=1

 

- Onde ler obras de Joyce: Fundação Biblioteca Nacional

  Av. Rio Branco 219, Rio de Janeiro    T. (0xx21) 2220-9367    W. http://www.bn.br

 

- Imagem de James Joyce no MAM-RIO : “Towards an Image of James Joyce” de Louis Le Broque. 

  Doação (1980): Comitê de Relações Culturais da Irlanda. Technical Archive: R/0938

  MAM - T. (21) 2240-3640.

 

- Bloomsday será lembrado no Festival Literário Internacional de Parati - RJ (FLIP)

  de 7 à 11 de julho, onde a ‘Rua James Joyce’ foi inaugurado em janeiro passado. 

  Veja: http://www.flip.org.br  “Programa 2004”, Colm Tóibin: 9 de julho às 15h00 (e 08/07 - 16h45) 

 

 

 

 

PROF. DA PUC-RJ NO 19º SIMPOSIUM INTERNACIONAL JAMES JOYCE

 

PROGRAMA:  http://www.bloomsday100.org/programme_acc.php

 

18 de junho de 2004, 15h15, The James Joyce Centre, 35 Great Georges Street, Dublin 1  

Palestra: A Dubliner in Brazil: The Spiralling Influences of Joyce in Brazilian Literature do Prof. Alfredo Grieco da PUC, Rio de Janeiro.